domingo, 25 de novembro de 2012

05 julho - Animal Kingdom

Dia 05/07 (quinta feira) fomos para o Animal Kingdom. Grande parte da turma que já conhecia, preferiu ir às compras. Mas lá fomos nós pra mais um parque, novidades, que delícia!!
Chegando lá, aquela deliciosa recepção educadamente educada. Senhores devidamente posicionados informando com gestos o seu local de estacionar. E não tem discussão, nada, é por ordem de chegada e ponto!


Que parque lindo. Lotado de verde. Uma árvore maravilhosa e enorme chamada A Árvore da Vida no centro do parque. Linda, linda. Ela é artificial mas com cara de verdadeira. Seu tronco é totalmente esculpido, vários animais ali representados com perfeição. Minimalista ao extremo, coisa de louco, como tudo por lá.
*E esses detalhes fazem toda a diferença. Você se sente importante, se sente parte daquilo tudo mesmo que por alguns dias. Você paga caro? Paga! Mas vale cada centavo!
O parque (que é dividido - e ambientado - em Continentes) em si não tem muuuitas atrações pra gente grande. E um inconveniente é que por ter muitas plantas acaba ficando muito abafado. No final o marido passou até mal, baixou a pressão. Também, naquele dia (e nos outros também) deve ter feito uns 40°.
O teatro da Vida de Inseto é sensacional.


O show do Procurando Nemo também! E ainda bem que fomos, porque se dependesse dos homens a gente não tinha ido em nada.
Em um brinquedo de corredeira daqueles que você vai em um bote grande para umas 8 pessoas e ele percorre um rio (água, refresco, VIVA!!) passamos horas na fila e no final nem era tão legal assim, mas, faz parrrte!
Agora, a montanha russa, Everest...UAU! Que delícia!! Mais uma vez fomos no Single Rider e nem pegamos fila! Filho fez uns (vários) vídeos. Segundo ele, eles foram umas 10x porque como eu comentei, o parque não tem muitas atrações pra quem gosta de adrenalina. E os vídeos? Eu deletei todos sem ter baixado pro Youtube. Deu muita, MUITA raiva de mim mesma, mas, cabeça avoada (não) faz parte também.
Como nesse dia os adolescentes ficaram sozinhos, só com o rádio, combinamos e nos encontramos na lanchonete para comermos o nosso saboroso sanduíche da marmita e aguardamos a parada.


A Parada: Que linda! Com Mickey, Minnie e cia dançando e acenando...AMEI!! Dei tchau pra todos eles (e eles pra mim kkk), que emoção!
Não contente com isso já indo embora vi que tinha lugar onde os "astros" ficavam e podíamos tirar fotos. Ahhhh, não tive dúvidas, convidei as crianças pra não ficar tão envergonhada e lá fomos nós.
A Minnie linda primeiro e depois o Mickey. A maloqueira aqui levou a bandeira do Corinthians, mas fui advertida pelo segurança que fica ao lado de cada um que, pelo fato do ratinho ser "patrimônio mundial" não poderia tirar foto com a bandeira X ou Y.
Fotos feitas...missão cumprida! Partiu casa.


Momento "Pataquada": Uma de nossas crianças estava no carrinho e para entrarmos no teatro ele teve que ser deixado do lado de fora, em um local especialmente para isso. Você deixa o carrinho e ganha uma pulga atrás da orelha mas na saída, geralmente ele está no mesmo lugar.rs
Deixamos o carrinho "estacionado" e na saída, cadê?? Procura de um lado, do outro, porque às vezes, para ajeitar o 'estacionamento", eles mudam de lugar. Eis que a dona avista um carrinho igual, com criança sentada. ela pensou por alguns instantes e fomos lá, eu como "tradutora" (que vergonha!!!). Ela questionou se aquele carrinho era realmente deles e eles confirmaram que sim. Ela deu uma bisoiada de perto e realmente não era o dela. Saímos com o rabo entre as pernas, sob olhares reprovadores da família, mesmo embora não tenhamos chegado de maneira grosseira. No final das contas o carrinho estava um pouco mais distante, mas lá. Ufa! (e na saída do parque demos de cara com essa família...rsrs)


Adendo escatológico: Na fila para o Safari...tinha uma turma na nossa frente, eram latinos. Falavam alto e brincavam muito. De repente alguém solta um PUM e a nada discreta chica berra para o amigo (como se ele que tivesse soltado), grita Aroooo e começa a gargalhar em alto e bom som. Como castelhano não é uma língua difícil para nós brasileiros, entendemos a história toda e a cada cômica gargalhada da mulher a gente ria junto. Por sorte ficamos todos no mesmo "comboio" o que tornou nosso Safari muito mais divertido e, até o final de nossa viagem, quando um cheiro estranho subia no ar alguém gritava: Arooooo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário