segunda-feira, 11 de novembro de 2013

DEZ ESSETE...

Nesses 17 anos eu já perdi a conta...

- de quantas vezes eu disse que te amo e que você é a pessoa mais importante pra mim;

- de quantas vezes me lembrei de como foi o dia anterior ao seu nascimento, o show do FICO que eu fui e dancei pra caramba e depois, todo processo de trabalho de parto;

- de quantas vezes eu me programei pra passar pra DVD as fitas onde gravamos seu primeiro banho (onde se esguelou de tanto chorar) e seus primeiros passos;

- de quantas vezes te abracei forte até quase te esmagar, inclusive quando está de bico me querendo bem longe;

- de quantas vezes já me emocionei te escrevendo declarações de amor;


- de quantas vezes já senti raiva por você deixar seu celular desligado e me deixar extremamente preocupada ou por combinar horário comigo e não cumprir;

- de quantas vezes me emocionei nas suas apresentações musicais e teatrais na escola;

- de quantas vezes passei raiva pelas notas baixas ou a cada vez que a coordenadora da escola me liga pra dizer que aprontou alguma;

- de quantas vezes me orgulhei da sua capacidade de enxergar que, quando você quer, você consegue;

- de quantas vezes me orgulhei pelo fato de você ser de bem com a vida, de não se opor à ir a um lugar que não conhece ninguém (e assim acabar fazendo novos amigos), de fazer amizade até com a parede;

- de quanto orgulho eu sinto quando ouço da sua boca que você se sente a vontade para conversar sobre os mais diversos assuntos comigo;

- de quantas vezes acho graça de ver você brincando com seu primo de "lutinha" e lembrar de como seu tio fazia com você;

- de quantas vezes eu me orgulho quando você me abraça pra me proteger na rua ou no shopping;

- de quantas risadas damos no nosso dia a dia;

detalhe da cara de animação pra tirar foto...
- de quantas vezes me lembro com orgulho dos nossos bate papos recentes, você tão quase adulto. Saber dos seus sonhos, dos seus planos, das suas curiosidades, convicções, ver o quão determinado é, enchem o meu coração de alegria e me faz perguntar-me: - essa pessoa maravilhosa saiu de mim?? Sorrio por dentro, porque a resposta é sim!

Além de que você, com essa vivacidade toda, me faz lembrar desta época tão gostosa que foi a minha adolescência. Tão bom recordar. E, mesmo não recomendando (muito pelo contrário!! Camisinha nele!! Como dizia uma antiga chefe: - encapa o bicho!!rs), percebo que eu fui mãe na melhor hora. Tenho pique suficiente pra entender e curtir tudo isso com você.

E esse jeito tão seu me faz enxergar tanto eu...seu mau humor matinal, sua cabeça dura, a facilidade em matérias de humanas e colocar pensamentos no papel, rir das próprias desgraças, a facilidade de fazer amigos, o sorriso fácil....Filho, amigos e sorrisos abrem fronteiras...até nos momentos difíceis, não os perca jamais.
__________________________

Sabe, me pego pensando, talvez eu seria mais uma a engrossar a porcentagem das mulheres que dizem não à maternidade. Mas Deus, que sabe de todas as coisas, tinha um plano maior pra minha vida. Ele me mandou você porque achou que eu merecia passar por todo esse turbilhão de emoções (e que eu aguentaria o tranco), que eu deveria entender o que significa esse tal "amor incondicional". E não tem um dia que eu não agradeça esse presente em forma de susto, susto esse saudavelmente lindo, em forma de vida.

Sou bem mais feliz porque você está aqui.

Que bom!

Obrigada! 




Nenhum comentário:

Postar um comentário